Indique este site

Habilidades e Competências

É correto utilizar "o mesmo"?

“Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar”. Lei n° 12.722 de 4/9/1998

[VEJA TODAS]

Newsletter

Cadastre-se em nossa Newsletter e receba as novidades e notícias da Scritta.

Veja todas as Newsletter

Enquete

De acordo com o artigo “Os discursos na polêmica do novo livro didático”: Você concorda que o MEC deve defender a língua popular, ainda que com “erros”?


Já votou!     Resultados

Mural de Recados

"Eu, Manoel Jesus, quero agradecer de coração, esse maravilhoso convite, para me recadastrar, na &quo..."

Manoel Jesus, pessoa física

"Agradecimento:
O curso de redação empresarial é útil para o funcionário e para a empresa: a c..."

Moacir Laurenço de Jesus, CNAC

"Laila, achei o treinamento de Comunicação Oral e Escrita excelente. Parabéns pelo seu trabalho...."

Cleidian, Cyrela

Veja todos os recados Deixe o seu recado

Redação Empresarial: A Arte de Negociar

Revisado - Reforma Ortográfica

Após alguns anos ministrando cursos in company, pude concluir que o homem de negócios, o executivo moderno, às voltas com telefonemas, e-mails, cotações, relatórios, ofícios, almoços com representantes, é um artista por excelência.

Afinal de contas, é preciso dominar todo um intrincado conjunto de estratégias para que o objetivo final, a satisfação do cliente, seja alcançado. E entre todas as estratégias a serem dominadas e utilizadas com absoluta precisão, estão, com certeza, o “bem falar” e o “bem escrever”.

Arrisco dizer que, a exemplo do jornalista, que precisa encontrar o termo adequado para relatar os fatos com a mais profunda exatidão, o executivo necessita de uma relação íntima com as palavras para não acabar dando com “os burros n’água”. Insisto nessa questão e, indo mais além, afirmo que: quem não estiver preparado, não estiver iniciado na arte da palavra, estará sujeito a não fechar negócios com tanta facilidade.

No mundo competitivo dos dias atuais a eficiência é imprescindível. Diante de tantas empresas, de tantas opções, o cliente vai escolher aquela que melhor atender suas necessidades, é óbvio. No entanto, deve figurar no meio dessas necessidades o relacionamento, a cordialidade, tudo aliado a uma imagem de solidez. Assim, o cliente se sentirá mais seguro ao sentar e conversar. Os resultados de se ter essas qualidades são mais negócios e poder ter a certeza de que ambas as partes envolvidas saem contentes.

Todavia, tão importante quanto o produto oferecido pela empresa é o acompanhamento deste produto. Em outras palavras, a embalagem pode chamar a atenção, só que se o conteúdo não for bom, se afastar o cliente, a coisa começa a se complicar. Digo isso pelo simples fato de existirem negociadores e negociadores, ou seja, há os que dispõem de um leque de opções sedutoras, mas não conseguem transmitir toda essa atratividade no ato de negociar. E por quê?

Dentre outros fatores, isso ocorre devido a uma comunicação deficiente utilizada pelo negociador, por dizer algo que o cliente não entende. E, se o cliente não entende, não se sente seguro para fechar a parceria. Por sua cabeça passam mil e uma questões. De repente ele pede ao representante à sua frente: “Você poderia me explicar melhor as vantagens de assinarmos este contrato? Ainda não compreendo”. Aqui começa a se destacar o artista. Se, em vez de atender prontamente à solicitação, o negociante começar a gaguejar, demonstrar impaciência, o cliente, que já não estava muito inclinado a ceder, termina por não assinar o contrato, quem dirá o cheque. Afinal de contas, investir em algo não compreendido em sua totalidade é uma tremenda insensatez.

Por outro lado, o artista do mundo dos negócios, domina a palavra. Consegue, por meio dela, seduzir o cliente. Pode até parecer bobagem, porém, uma linguagem adequada, uma boa capacidade de comunicação, saber o que dizer e, sobretudo, a hora em que dizer são diferenciais, contam pontos a favor.

Se engana quem estiver pensando que os clientes não prestam atenção a esses detalhes. Imagine se o gerente de marketing diz: “Nossa Companhia é uma das melhores a nível de mundo?” Continua achando bobagem? Pois continuemos:
- Eu, enquanto representante de vendas, garanto que o senhor só tem a ganhar;
- A gente fizemos uma minuta do contrato e gostaríamos que o senhor desse uma examinada;
- Desculpe. Não percebi que o senhor tinha chego;
Se passarmos para o texto escrito, a situação pode se agravar:

- Vemos por meio desta;

- Vossa Senhoria só terá benefícios com a parceria;

- Enviamos em anexo;

- Acusamos o recebimento;

Além dos erros cometidos no que cerne à gramática e à adequação linguística, há outra modalidade de erro, gravíssima por sinal, um verdadeiro pecado. Considere uma correspondência enviada a um cliente em potencial. No primeiro parágrafo, lê-se:
“Encontro-me aqui em suas presenças, a fim de falar-lhes de um assunto de inestimável importância: O programa de apoio aos novos empresários da Metrum, uma empresa criada com o foco na qualidade de seus serviços e sempre preocupada em satisfazer o cliente antes de tudo.”

A Metrum pode até ter a preocupação de satisfazer os clientes. Entretanto, falhou ao escolher o redator desta carta. Note que o parágrafo comete erros primários, como introduzir um tópico, o do programa de apoio, e não desenvolvê-lo. E o que dizer do “Encontro-me aqui em suas presenças”? O leitor deste documento irá, no mínimo, rasgá-lo, visto que a função primordial da linguagem, a comunicação, não foi cumprida. O que interessava na realidade, nem chegou a ser mencionado no corpo do texto.

Estamos diante de um precário comunicador, de alguém que não elabora um projeto de texto. Mais do que isso: estamos diante de um indivíduo que não dá a mínima para a posição que ocupa, para a Companhia que representa. Em suma, estamos diante de um sujeito despreparado, desconhecedor de suas próprias limitações e que conta com a incapacidade dos outros para o seu sucesso, erro fatal no cenário corporativo atual.

Publicado em: 08/08/2005

Autor: Laila Vanetti

Veja os comentários (0)

  • Vote neste artigo:

Deixe seu Comentário:

[Voltar]

Destaques

Depoimentos

"O curso é muito bom e me fez relembrar muito a língua portuguesa...."

Claudio Paulon - ViaQuatro

"Excelente! O material foi bem apresentado e bem claro...."

Daniel Farias - ViaQuatro

"Será muito útil para o nosso dia a dia, pois além de relembrar o uso correto da gramática, os textos..."

André Luiz - ViaQuatro

Veja todos os depoimentos

Twitter

  • Orkut
  • Linkedin
  • Twitter

Rua Carlos Stevenson Nº 1.180 – Bairro Nova Campinas - Nova Campinas - Campinas/SP CEP: 13092-132 Tel: (19) 3255-6742

Scritta | Cursos de Redação Empresarial - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Publiweb