“ ..Deixo, assim, ficar Subentendido Como uma ideia que existe na cabeça E não tem a menor obrigação de acontecer..” (  Lulu Santos, Apenas mais um amor )

 

Na música, o subentendido fica muito bonito, muito poético, romântico mesmo, mas ….

Na empresa tem que acontecer!

Há sérios riscos de deixar as coisas subentendidas! 

Mas, antes de tudo, você sabe o que quer dizer subentendido? 

Subentendido é um adjetivo que significa algo que é tácito, que se entende, apesar de não estar expresso ou enunciado. Algo que está na mente, mas não foi expresso de forma explícita.

Ou seja, é algo que fica ali, meio nas entrelinhas, e cabe à sua interpretação para ser objetivado.

Na vida, brincar com subentendidos não tem problema algum, não existe uma regra de certo ou errado, ele está ali no nosso dia a dia. Por exemplo,uma  mãe diz: “Filho, a lâmpada queimou” (subentende se que essa mãe quer que o filho troque a lâmpada). Mas, na empresa, isso pode gerar situações complicadas em “comunicar pela metade”. 

No subentendido fica o dito pelo não dito.

Infelizmente, existe um conjunto de mecanismos sociais e culturais que nos incitam a deixar mensagens no ar. Por exemplo, alguém diz na empresa “Acabou o papel da impressora?” (subentende que você quer mais papel na impressora).

“Você fala claramente. Esculpe cada palavra antes de lançá-la”.
– Oliver Wendell Holmes –

As relações sociais e profissionais se manifestam de maneira diferente e são recebidas de maneiras diferentes. 

Isso, no seu trabalho, é um perigo, pois deixar para o outro entender aquilo que você quer transmitir pode não ficar claro, ou seja, a comunicação não é tão efetiva e deixa abertas possibilidades para transtornos ou mal entendidos.

Um exemplo disso é você dizer ao seu chefe: “Já terminei todos os relatórios de hoje nesta manhã”. Chega no final do dia, e ele questiona “Por que os relatórios da manhã não estão na minha mesa?”

Pois é, você deixou subentendido que já havia terminado, então deveria ter entregue.

Isso abre possibilidades do chefe pensar que é mentira sua em dizer que havia finalizado, ou que foi relapso em não entregar, ou que não foi proativo na entrega e esperou ele pedir…. As possibilidades são vastas, mas, independente disso, houve um desconforto na sua imagem profissional.

Agora, pense como isso pode também estar refletindo nos e-mails que você envia.

Deixar subentendidos na escrita com clientes, colaboradores, é mais difícil ainda de contornar, pois exige do outro uma atenção que talvez ele não possa dar, devido a diversas razões:  por ter dia corrido, vários afazeres e não ter tempo de questionar aquilo que ficou vago para ele, então de maneira mais rápida pode causar desconforto a empresa ou até mesmo desfazer o negócio com cliente.

Sua preocupação não tem que ser apenas em construir um bom e-mail na parte ortográfica, mas também de forma direta e objetiva.

É nisso que eu vou colaborar com você e te orientar, para que se sinta seguro e confiante e para que esses “ subentendidos” não aconteçam mais no seu meio profissional.

Clique aqui e descubra como.