Agora mesmo, transformações estão acontecendo bem ao seu lado. Mas você está preparado? É bom estar.

Por isso, não deixe de ver essas incríveis tendências e previsões para não ficar cometendo erros de “mil novecentos e bolinha”.

Num piscar de olhos, novas tecnologias são inventadas, conceitos são aprimorados e novas ferramentas são desenvolvidas. Quem poderia ter imaginado as mudanças profundas dos últimos anos? E você tem dúvidas se as mudanças que virão nos próximos anos serão tão profundas?

Pois acredite, elas serão!

Pense na década passada: no começo dos anos 2000, a fusão de empresas com a China estava apenas começando para a maioria das empresas globais; o Google tinha acabado de sair do escritório na garagem em Menlo Park, na Califórnia; a Apple era vista como uma empresa que estava quase falindo; ainda faltavam cinco anos para inventarem o YouTube, e o criador do Facebook cursava o colegial.

Que diferença faz uma década, não apenas nas ferramentas que usamos para permanecer produtivos, mas em como levamos nossa vida diária, não é mesmo?

 

Então imagine duas décadas!

Ufa! Já estamos perto do fim de 2017, é chegada a hora de pensar nos planos e passos a serem tomados até 2020, quando algumas mudanças significativas vão acontecer.

E muitas dessas mudanças têm relação com o trabalho, e é por isso que este artigo fala sobre (e com) os recursos humanos.

 

Quer exemplos de algumas mudanças que já estão acontecendo?

Em 1960, ninguém pensava na necessidade das pessoas se sentarem ao redor de uma mesa para trabalharem juntas na área do executivo, afinal, a hierarquia estava claramente definida e não havia espaços colaborativos. Mas os tempos mudaram e uma das diferenças da visão hierárquica desse andar foi a de trazer uma mesa redonda para o escritório do antigo presidente, tornando o ambiente mais igualitário.

As organizações traduzem os desejos da época não somente nos espaços físicos que criam, mas também nas decisões com relação aos talentos que selecionam e à estrutura que criam dentro da empresa. Porque se hoje os funcionários não passem mais a vida toda trabalhando em uma única empresa, as decisões tomadas no que diz respeito a quem é contratado, preparado e promovido perduram por anos.

Nesse ritmo tão acelerado de novas tecnologias e inovações é melhor estar preparado, não é?

Para te ajudar a se programar  – e se atualizar – aqui vai uma lista das principais tendências dos recursos humanos até 2020. Além do conteúdo abaixo, você pode ver mais sobre isso bem aqui

Vamos lá?

 

1- A Geração Milênio

Em 2020, a Geração Milênio, ou Geração Y (nascidos entre 1980 e 2000), representará metade da força de trabalho mundial. E quem são eles? Alguns dizem que eles são desleais, egocêntricos e preguiçosos, enquanto outros declaram que essa geração é composta por inovadores digitais.

A verdade é que entre eles existe uma necessidade de progredir rapidamente na carreira, como quem passa de fase no videogame, além de uma grande preocupação com o desenvolvimento pessoal e a propensão a trocar de emprego em períodos curtos. O que muda completamente a forma como as empresas deverão atrair e, principalmente, reter seus talentos. Hoje já é possível ver alguns exemplos dessa mudança, como startups que mantêm freezers com cerveja em seus escritórios ou empresas que transformaram seus ambientes de trabalho, onde só se trabalha descalço ou de pantufas, por exemplo.

 

2 – Em busca de engajamento

Um termo que está aparecendo cada vez mais na área de recursos humanos é o “employer branding”. Ele foi criado por Simon Barrow em 1996 e citado mais tarde, em 2005, em seu livro “The Employer Brand, Bring the Best of Brand Management to People at Work”. O termo que tem origem no marketing, derivado do substantivo brand (marca), traz a ideia de um esforço contínuo que gera valor para a marca. Quando levado para o campo do RH, a ideia se mantém a mesma, mas o alvo muda. A busca não é mais atingir os consumidores e sim os colaboradores da organização.

Despertar o desejo de fazer parte de uma organização é o objetivo central do employer branding, que busca o engajamento dos atuais e potenciais colaboradores. Por isso, as estratégias de contratação e relacionamento com o colaborador tendem a se intensificarem para manter os talentos dentro da empresa.

 

3 – Viva a diversidade!

Se a Geração Y será metade dos trabalhadores até 2020, um outro dado também é importante saber: de acordo com a Organização Mundial de Saúde, homens e mulheres na terceira idade que são saudáveis hoje serão fisicamente capazes de trabalhar até os 74 e 77 anos em 2020. E se essa geração vai trabalhar o maior tempo possível, significa que ambas as gerações vão trabalhar juntas.

Por isso, o ambiente organizacional deverá oferecer uma experiência social intensamente personalizada para atrair, desenvolver e comprometer os funcionários de todas as gerações e de diferentes competências e estilos.

 

4 – Investindo em talentos

As grandes – e melhores – empresas já estão preparando suas estratégias para vencer na busca por talentos. Segundo Jeanne Meister, uma estudiosa da educação corporativa, o ambiente de trabalho de 2020 será definido por essa visão aguda: boas estratégias de recrutamento e desenvolvimento da equipe, além de benefícios aos funcionários e investimento em liderança.

Para criarem uma vantagem competitiva no ambiente de trabalho de 2020, as organizações deverão adotar práticas inovadoras de recursos humanos, primeiro definindo um conjunto de valores e, depois, desenvolvendo um ambiente organizacional que reinvente o aprendizado de talentos e que garanta boas práticas de liderança.

E o que são boas práticas de liderança? É o pleno domínio da comunicação para atrair, motivar, conectar, engajar, desenvolver, manter e ouvir os colaboradores.

Parece impossível? Pois já existe um modo de se preparar para esta força de trabalho multigerencial. Mas, se você não está preocupado com liderança, nem precisa clicar para saber mais.

E você, está preparado para essas tendências? Me conte nos comentários!