A comunicação interna muitas vezes é deixada de lado justamente por nunca sair da instituição.

Você se preocupa em construir e em manter a boa imagem da sua empresa por meio dos textos de divulgação, releases e e-mails direcionados a clientes e a prospects. Muito bem! Mas saiba que isso é somente meio caminho andado: o primeiro passo não começa por fora, mas sim por dentro.

A comunicação interna muitas vezes é deixada de lado justamente por nunca sair da instituição; a ela é dada uma “colher de chá”, ou seja, maior flexibilidade e aceitabilidade de erros e problemas.

Não se vê que uma falha na comunicação ― um e-mail ambíguo ou uma frase que esteja aberta a subentendidos ― prejudica, e muito, a relação entre os colaboradores e o ambiente de trabalho.

A falta de uma linguagem unificada ― quando cada um utiliza os jargões e gírias de seu departamento, sem se inteirar sobre os dos outros ― também enfraquece os laços de integração entre os membros da empresa.

De forma implícita, a verdadeira missão da comunicação interna é desenvolver nos profissionais uma visão de processo organizacional do qual todos participam juntos e em que se envolvem. Ela, sobretudo, estimula o sentimento de pertencimento e de identidade, o que, consequentemente, cobra responsabilidade e gera comprometimento.

Comunicação interna certamente é sinônimo de comunicação empresarial.

O melhor modo de garantir eficácia em todos os processos internos e melhorar o clima entre as pessoas é manter uma comunicação unificada e estruturada, que reflita a imagem da empresa a todos os colaboradores. Por isso, é de suma importância ter claros Missão, Valores, Objetivos e Padrões de Comportamento, para que todos possam referenciar suas atitudes e textos, e interpretar de maneira correta os dos outros.

Além disso, é preciso sempre ter em mente que a comunicação interna circula em três sentidos: ascendente (de baixo para cima), descendente (de cima para baixo) e horizontal (entre os mesmos níveis hierárquicos) e que, portanto, a linguagem deve estar de acordo a todos eles.

Por fim, mas não menos importante, deve-se atentar à escrita: exigir textos claros e coesos, sem erros e inadequações e conforme a nova ortografia. Tais elementos são essenciais para facilitar a comunicação interna empresarial e já servir como bons exemplos para uma redação que, futuramente, será encaminhada por meio de um canal externo.

Estabelecer canais de relacionamento é vital para um bom andamento e, mais do que isso, revela a existência não somente de uma empresa, mas sim de uma comunidade empresarial completa e unida.

Confira nosso artigo com 10 Dicas para Redigir um Bom Texto e garantir uma comunicação interna sempre alinha e eficaz.

Autor: Bruna Moreno